sábado, 22 de novembro de 2014

O GRANDE PREGADOR

Anselmo e Mário, dois grandes amigos, não podiam ser mais diferentes um do outro, no que diz respeito aos dotes da natureza. O primeiro era talentoso, elegante, rico e de boa família. O segundo, pobre e apagado. Entretanto, por cima de todas essas diferenças, algo os unia estreitamente: ambos eram grandes de alma.
Naquela manhã de domingo, Anselmo comunicava a seu amigo que estava de partida para ingressar como noviço no Convento de São Domingos.
— Quero ser pregador, como bom filho de São Domingos, para converter muitas almas a Cristo e divulgar a devoção do Santo Rosário.
Embora triste, por ver romper-se um convívio de muitos anos, Mário felicitou seu amigo e o incentivou a seguir avante naquela sublime vocação.
— Ficaremos sempre unidos pela oração. Rezarei muito para que sejas um grande pregador santo — respondeu, dando ênfase ao adjetivo santo.
Poucos meses depois, Mário conseguiu um meio de alojar-se também no Convento de São Domingos, onde prestava pequenos serviços à comunidade. E... de vez em quando conversava um pouco com seu estimado amigo, ao qual repetia sempre:

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

A mais cara das jóias

Sentado atrás do balcão de sua loja, o velho Peter sentia-se seguro como um castelão sobre as muralhas de sua praça fortificada. Décadas de investimentos, contas rígidas e muito tino comercial haviam edificado aquela espécie de pequena fortaleza econômica. A inscrição gravada em letras douradas na grossa placa de madeira que encimava seu estabelecimento bem simbolizava tudo isso: Loja de Penhores Peter Argern.
Em todos os seus negócios ele observava uma série de regras estritas, fruto da experiência adquirida a duras penas. E a primeira era esta, que ele fazia questão de repetir ao longo do dia: “Nunca confie em ninguém”. E desta sua frase preferida, ele com freqüência acentuava três vezes a primeira palavra: “Nun-ca, nun-ca, nunca”.
Os mais velhos da cidade contavam que Peter passara por difíceis situações, não só quando menino, mas também quando adulto, no mundo dos negócios. Desde então votara uma desconfiança mortal contra toda a humanidade. Abandonara completamente a religião, pois considerava uma tolice tudo quanto falavam os padres a respeito de perdão e misericórdia. Era a última pessoa de quem se poderia esperar um ato de compaixão, ou sequer de compreensão.

domingo, 9 de novembro de 2014

Avançar sempre; recuar, nunca!

Esse era a brado das jovens que participam das aulas de taekwondo, no centro juvenil dos Arautos do Evangelho, e que iriam ser avaliadas para a troca de faixa. Todas tinham treinado muito e esperavam ansiosas por esse dia. Queriam conquistar mais uma graduação.

Assim como no esporte exige-se concentração, afinco e vontade de vencer para progredir, na vida espiritual podemos fazer a mesma aplicação. O que é preciso fazer para progredir no amor a Deus? Santo Agostinho ensina-nos que é necessário “castigar nosso corpo, praticar as virtudes - particularmente a da caridade - e orar”. É preciso avançar sempre, sem nunca parar. Quanto mais se ama, mais se progride, porque a caridade é ativa, não podendo permanecer ociosa. Pelo mesmo motivo, deter-se é retroceder.

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Passeio nas dunas

A vida diária nos Arautos do Evangelho é muito disciplinada. Entretanto, a alegria está sempre presente nas diversas ocupações de seus membros e participantes: nos atos de piedade, nas aulas, nos  estudos e nas recreações.
Nos fins-de-semana e feriados, as jovens também participam de ações de evangelização, visitando lares e  fazendo várias  programações e passeios para as mais jovens.

No dia dos professores, as estudantes tiveram a oportunidade de passar  uma aprazível tarde  repleta de atividades nas dunas, onde puderam participar de  interessantes atividades nas suas lindas e atraentes areias. As almas das  participantes ficaram repletas de  agradecimento ao nosso Criador, adorando a Deus,  que tantas maravilhas nos presenteou  nesta Terra  para antegozarmos  as inimagináveis  belezas celestiais.

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Formar a juventude

Um ambiente alegre, sadio e piedoso é benéfico para a formação da juventude. Vivificado por forte e fiel prática da vida cristã em todas as suas exigências, eleva, aprimora, enriquece as almas dos jovens. Cientes disso o setor feminino dos Arautos do Evangelho em Joinville convidou as jovens do Projeto Futuro e Vida juntamente com seus pais para mais uma agradável tarde de convívio na Chácara Chaparral.